ATUALIDADES

Loading...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Etapas do Processo de Enfermagem

Como o combinado, aqui segue em continuação do guia de enfermagem.

Histórico de enfermagem

Composto por entrevista e exame físico, é realizado no ato da admissão a fim de levantar dados que possibilitem o conhecimento do estado geral do paciente. As informações devem ser coletadas de forma que sejam garantidas informações corretas, completas e organizadas.

Entrevista

Utilize o instrumento fornecido pelo seu professor. Abaixo, seguem-se algumas dicas que podem ser válidas durante sua entrevista com o paciente:
-antes de iniciar a entrevista, apresente-se e relate o objetivo de tal atividade;
-tente inspirar segurança e confiança;
-mantenha boa postura;
-saiba ouvir o paciente e deixá-lo se expressar;
-faça perguntas com linguagem objetiva, clara e de fácil entendimento;
-utilize um tom de voz compatível com a acuidade auditiva do paciente;
-procure não utilizar termos técnicos específicos durante as orientações ministradas.

Qualquer dúvida... peça ajuda ao professor!

Exame físico passo a passo

O exame físico é feito através de uma análise física detalhada, a fim de identificar possíveis problemas de enfermagem. É feito no sentido cefalopodálico, ou seja, da cabeça para os pés.

O exame físico é dividido em quatro fases.

1. Observação: observar o estado geral do paciente: físico e psíquico.
2. Ausculta: é feita utilizando-se o estetoscópio, a fim de verificar a presença de sons, normais ou anormais, produzidos pelos pulmões [murmúrios vesiculares (MV)] e intestino [ruídos hidroaéreos (RHA)];
3. Palpação: manualmente, através de leves compressões em determinadas áreas, como, por exemplo, o abdômen, pode-se identificar a possível existência de massas palpáveis anormais.
4. Percussão: através de leves toques/batidas na base das unhas das mãos que estão sobre o local a ser percutido, podemos perceber sons com diferentes vibrações que nos ajudam a identiicar possíveis anormalidades.

O roteiro abaixo poderá ajudá-lo durante a realização do exame físico.

1. Sinais Vitais- caracterizado ela verificação e análise de alguns parâmetros como: temperatura (T), pulso (P), respiração (R), pressão arterial (PA).
2. Peso e altura- estado nutricional, relação peso/altura, ganhos e perdas.
3. Nivel de consciência- consciente, inconsciente, orientado, desorientado.
4. Cabeça
  • Cabelos e couro cabeludo - quebradiços, ressecados, seborréia, sujidades, piolhos, lêndeas, alopercia, lesões;
  • Ouvido - sujidades, acuidade auditiva, dor, lesões, deformidades;
  • Olhos - secreção, edema, avaliação pupilar, ptose palpebral;
  • Nariz - secreção, sujidade, deformidade, obstrução;
  • Boca - língua saburrosa, sangramento gengival, dificuldade de mastigação e deglutição; condições de dentição, hálito e fala;
  • Pescoço - nódulos, gânglios.
5. Membros superiores
  • Tórax - simetira, expansibilidade, dor, deformidade;
  • Mamas - flácidas, túrgida, deformidade, nódulos, dor;
  • Mamilos - planos, fissuras, secreções;
  • Rede venosa - visível, palpável, processo inflamatório, esclerose;
  • Unhas - curtas, compridas, sujidade, quebradiças;
  • Abdômen - globoso, flácido, tenso, distendido, escavado.
6. Membros inferiores
  • Genitália e região periana - edema, deformidade, sujidade, secreção, hemorróida, prolapso;
  • Regiões sacra e glúte - hiperemia, ulcerações, musculatura;
  • Marcha - deambula com ou sem auxílio, senta, não senta.
7. Pele
  • Pálida, cianótica, hiperemiada, corada, íntegra, lesões, prurido, deformidades, ressecamento, fissuras, manchas, equimoses, hematomas, turgor, sensibilidade.
8. Eliminações
  • Vesicais, intestinais, vômitos, regurgitações.
9. Outras anormalidades encontradas
  • Traumatismos, malformações.
Diagnóstico de enfermagem
O diagnóstico é determinado após análise e avaliação dos dados coletados no histórico de enfermagem, Desta forma, é imprescindível uma boa coleta de informações enfocando as preopupações mais importantes.
Plano de cuidados
Estabelecido o diagnóstico, deve-se fazer um plano de cuidados que prescreva intervenções para a obtenção dos resultados esperados.
Implementação
Colocar o plano de cuidados em ação.
Avaliação
Avaliação do plano de cuidados e progresso do paciente. A esta fase reservam-se possíveis modificações nas prescrições dos cuidados.

Um comentário:

  1. Anônimo9:25 PM

    obrigada pelas informações, foram de muita valia. Boa Sorte.
    Gleyce Girard

    ResponderExcluir